PRESENTES SOLIDÁRIOS 2013 | CABO VERDE

 

152 PRESENTES ANGARIADOS

Parceiro | Caritas de Cabo-Verde – Paróquia de São João Baptista – Ilha de Santiago

Local de entrega | Paróquia de São João Baptista, Ilha de Santiago

A quem se destina | Crianças e adolescentes em idade escolar e não escolar e jovens da zona de São João Baptista

Para que serve | O contacto com o livro enriquece culturalmente o indivíduo e promove a sua autonomia. Para já não falar, especificamente, da importância do livro e da leitura para o melhoramento da competência linguística oral e para a aprendizagem do código escrito da sua própria língua.Neste contexto, afigura-se-nos óbvia a importância do livro e da leitura como fonte de saber e da cultura e como meio eficaz de aperfeiçoamento linguístico. Todavia, o difícil é ser capaz de conduzir as crianças e os jovens à leitura, quando estão rodeados de tantas e tão diversificadas solicitações e quando, por vezes, até o próprio meio familiar parece avesso a esta actividade e ao uso que com ela directamente se relaciona – nomeadamente, consagração efectiva de uma parcela do tempo livre à leitura, discussão de aspectos sobre os quais o livro que lemos nos faz reflectir, exteriorização do prazer de ler, visita regular à biblioteca e à livraria e aquisição habitual de livros.

Saiba mais sobre a Paróquia de São João Baptista e o projeto da Biblioteca Itinerante

A Paróquia de S. João Baptista fica situada no concelho de Ribeira Grande de Santiago (com incidência de pobreza de 39,3% – segundo os dados o QUIBB 2007), e com uma taxa de analfabetismo mais alta do país, ou seja, 33% da população de mais de 4.600 pessoas.

É uma comunidade com carências de várias ordens: desde a satisfação das necessidades básicas e das infra-estruturas escolares e de ocupação de tempo livre de forma útil das crianças, adolescentes, jovens e adultos.

A comunidade fica distante e as condições de acesso são precárias devido à falta de vias de acesso. As famílias sobrevivem em condições precárias, devido a fraca capacidade de recursos financeiros, uma vez que a fonte de rendimento provem de trabalhos agrícolas e criação de gados essencialmente caprinos, não direccionado para o lucro mas para subsistência.

Há ainda, segundo os dados 21 mil pessoas desempregadas e as mulheres representam mais de 50% dos desempregados do país. No meio rural, estima-se que 84.124 pessoas são pobres e 54% são mulheres e 62% moram com agregados de mais de 7 pessoas. Por tudo isso, há falta de perspectivas e aumenta o risco de abandono escolar, aumenta a violência e os inúmeros problemas sociais como o alcoolismo e as drogas, violências domésticas, abuso e exploração, trabalho infantil, etc.

A pobreza em Cabo Verde é mais preponderante no meio rural, nos agregados chefiados por mulheres e nos agrados familiares mais numerosos. Ela afecta mais as crianças do que outras fases de vida. Quase 71% das residências não têm casa de banho, retrete ou latrina e o acesso limitado ao saneamento e à água de qualidade faz aumentar os casos das doenças relacionadas, prejudicando as famílias e principalmente as crianças.

As condições de vida da população pobre refletem uma preocupação para o futuro, especialmente na área de água e saneamento.

São vários os aspectos que obstruem a realização da vida com dignidade e lacunas que impedem a plena realização dos direitos em todas as dimensões e dignidade humana.

É neste contexto que surge a necessidade de promover a educação e a cultura como caminho para se construir um futuro diferente e mais sustentado. Todavia, o difícil é ser capaz de conduzir as crianças e os jovens à leitura, quando estão rodeados de tantas e tão diversificadas solicitações e quando, por vezes, até o próprio meio familiar parece avesso a esta actividade e ao uso que com ela directamente se relaciona – nomeadamente, consagração efectiva de uma parcela do tempo livre à leitura, discussão de aspectos sobre os quais o livro que lemos nos faz reflectir, exteriorização do prazer de ler, visita regular à biblioteca e à livraria e aquisição habitual de livros.

Neste sentido, a Biblioteca Itinerante pretende ser uma forte contribuição para a formação pessoal e social das crianças, dos adolescentes e dos jovens das comunidades de São João Baptista. A ideia de uma biblioteca itinerante surgiu para dar resposta à grande dispersão das comunidades do Concelho de Ribeira Grande de Santiago. Com uma biblioteca fiz numa zona do concelho, dificilmente os jovens das outras zonas conseguiriam ter acesso a esta fonte de saber. Desta forma, é o saber que vai ao encontro das comunidades, mesmo aquelas que estão mais afastadas por dificuldades geográficas.

 

TESTEMUNHO DO TERRENO

 

Agradecimento em nome da comunidade

As comunidades de São João Baptista ficam distantes umas das outras, as crianças, os adolescentes percorrem grandes distâncias entre a casa e a escola. Não estão habituados a pesquisas, consultas, uma vez que resumem os seus estudos aos conteúdos ministrados nas aulas. Os professores não são residentes, muitos vão no início de semana e voltam no final de semana devido às difíceis condições de trabalho, vias de acesso, meios de transporte…

Com este prémio solidário em livros para as comunidades, acreditamos que as crianças, os adolescentes, os jovens desfrutarão de um livro amigo para leituras, consultas, pesquisas e poderão estar em permanente contacto com o saber e o conhecimento, livrando-se em parte dalguns males que afligem a nossa sociedade de hoje.

Com este pequeno gesto é que construímos grandes edifícios do conhecimento.

Um bem-haja a todos.

José Lino Furtado, Caritas Paroquial de São João Baptista, Cabo-Verde

 

FOTOS DA ENTREGA DOS PRESENTES

RESULTADOS 2016

SIGA-NOS NO FACEBOOK